10 Motivos para mudar do Windows para o Ubuntu

Está pensando em largar o Windows? Nós vamos te ajudar!

Depois de algumas campanhas da Microsoft contra o Software Livre, resolvemos criar este artigo como forma de “responder” este tipo de artigo, usando o Ubuntu como plataforma, por ser na nossa opinião o mais acessível e completo sistema baseado em Linux para usuários comuns, o que nos traz a uma lista com 10 motivos para você abandonar o “sistema das janelas” e migrar para o “Pinguim.”

1 – É totalmente grátis

 O Ubuntu é grátis
Você poderá baixar o Ubuntu totalmente de graça, você sempre vai ter um sistema completo, não existem versões “Home Basic” ou “Starter” com recursos “capados” e também não existem versões “PRO” ou “Ultimate”, você sempre terá o que há de melhor em software livre sem precisar desembolsar nenhum tostão furado.

2- É mais seguro

O Ubuntu é praticamente impenetrável
Vírus e Windows são quase sinônimos, no Ubuntu você tem uma margem de segurança muito maior, conheço pessoas que usam Linux a mais de 15 anos e nunca pegaram um vírus sequer, se você for paranoico ainda pode habilitar um firewall e até mesmo instalar um software antivírus como o Avast no Ubuntu, mas isto realmente não é necessário.

3 – Você manda no sistema, e não o sistema em você

Com Linux você tem controle
Quantas vezes você foi “obrigado” a instalar um programa adicional, uma toolbar, reinicializar o sistema para completar uma atualização sem ter a opção de deixar para depois ou ainda teve que esperar o Windows instalar atualizações para poder utilizar o sistema?
Quantas vezes você deixou o seu computador mais lento por instalar um tema, ou “bugou” os ícones por instalar um pacote de ícones?
No Ubuntu quem manda no sistema é você, se você quer instalar as atualizações mais tarde você fará isso, se o sistema pedir para reiniciar o computador e você disser que não quer mais ver aquela mensagem ela não vai mais aparecer naquela sessão.
Você tem controle de instalar novos ícones, temas, mudar as coisas de lugar, trocar nomes, mudar softwares, no mundo open source tudo é perfeitamente customizável.

4 – Programas a poucos cliques e mais segurança

Central de Programas do Ubuntu
Para instalar programas no Ubuntu basta abrir a Central de Programas onde você vai encontrar uma espécie de “Lojinha” de aplicativos, semelhante as dos dispositivos móveis, 90% dos softwares são realmente úteis e grátis, existem até mesmo revistas que você pode comprar por lá.
Para instalar qualquer aplicativo é necessário digitar a senha de usuário, então ninguém não-autorizado vai poder instalar coisas no seu sistema operacional à menos que você permita, e ainda existem por aí na internet à fora milhares de pacotes .DEB que funcionam como os EXE do Windows permitindo a instalação em dois cliques.
Quantas vezes você baixou um programa de um site como o Baixaki e acabou instalando mais coisas do que queria, no Ubuntu isso “non Ecsiste”

5- Interface gráfica moderna e maleável

Unity é a interface padrão do Ubuntu
O Ubuntu traz um conceito novo de busca inteligente que vem sendo copiando até pelo Windows 8 que são as SmartScopes, uma simples pesquisa na Dash ( menu do Ubuntu ) permite que você encontre todo o tipo de mídia relacionada a sua busca, aplicativos instalados, disponíveis para instalar, artigos na Wikipédia, músicas no SoundCloud, vídeos do YouTube são só alguns exemplos, e claro se você não quiser ver nada disso você pode escolher também, afinal, é você quem manda, lembra?
O nome da interface do Ubuntu é Unity, mas se você não gostar dela você pode simplesmente trocar, esse tipo de coisa é até difícil de explicar para quem usa Windows, mas você pode simplesmente instalar outro ambiente gráfico e usar sem prazo de validade.

6- Mais estável que o Windows

Tela Azul da Morte
A maioria das pessoas quando pensa em “travamentos” associa a grande falta de estabilidade no sistema Windows, a verdade é que além de praticamente não travar, o Linux muito raramente ( pra não dizer nunca ) tem um erro crítico do tipo “Tela Azul da Morte”, no Linux esse erro equivalente se chama Kernel Panic e o número de pessoas que viu ele é o mesmo que viu o “pote de ouro no fim do arco-íris.”
Além disso o Linux consome menos memória, se um programa trava ele não trava o sistema inteiro, Linux é usado em servidores críticos, como os computadores da estação espacial internacional e é praticamente inquebrável, pelo menos para usuários comuns, ou seja você pode deixar seu computador ligado tanto tempo quando o seu hardware aguentar.

7- Sem drivers para instalar

Deixa que eu dirijo
Este é outro mito que cabe derrubar, você não vai precisar instalar qualquer driver praticamente, pois diferente do Windows, os melhores drivers em sua maioria já vem incluídos no Kernel Linux, sobrando apenas para você instalar os drivers da sua placa de vídeo caso queira um desempenho superior para jogos, e normalmente o sistema vai te informar deste detalhe e cabe a você simplesmente dar alguns “OKs” para instalar.

8 – Linux tem sim muitos jogos!

Jogos Linux na Steam

Se você é um gamer pode ficar tranquilo pois vai encontrar muitos jogos para Linux, a maioria grátis e todo o arsenal da Steam que só tem a crescer, alguns jogos deverão chegar em breve ao Ubuntu já que a Valve está desenvolvendo o seu console baseado no Linux, por outro lado ainda existe um aplicativo chamado WINE para rodar o seu bom e velho GTA e o seu Need For Speed entre outros softwares e jogos diretamente no Linux.Confira o nosso canal no YouTube, lá tem muitas dicas e jogos para o Ubuntu.
Ah, e acabei de me lembrar que fizemos uma listinha com mais de 80 games para Linux, dá uma olhadinha aqui.

9 – Um sistema integrado com as redes sociais e com a internet

Indicador de mensagens do Ubuntu
Se você é o tipo de usuário que vive ligado nas redes sociais, Facebook, Twitter, YouTube, ainda tem várias contas de e-mail, conversa via Skype, via Google Talk, via chat do Facebook ou seja lá o que for o Ubuntu irá lhe atender maravilhosamente bem.
Com o Ubuntu tudo isso é concentrado em um único lugar, num indicador na barra superior, qualquer atividade que acontece em um destes serviços é armazenado neste ícone, basta você configurar tudo o que quiser com as contas online.

Contas Online no Ubuntu
Ainda é possível navegar por arquivos e fotos no seu Google Drive e Picasa através nas Lentes da Dash do Unity, assim como enviar fotos para o sua rede social favorita através do Shotwell.
O Ubuntu também traz o Ubuntu One, um serviço de armazenamento de dados online semelhante ao Dropbox, que entre outras facilidade permite que você faça backup dos seus arquivos e salve em segurança em um servidor.

Serviços como Skype, Hangouts, Dropbox e até mesmo o Google Drive pode ser utilizados no sistema sem nenhum problemas.

O Ubuntu vem com o Firefox por padrão ( pra quê IE né?) e você pode instalar também o Google Chrome e Opera sem problemas além de outros navegadores disponíveis na Central de Programas.

10 – Conseguir ajuda é muito fácil

Comunidade Linux pronta para te ajudar
É natural nos sentirmos meio perdidos ao começar a usar um sistema novo e com o Ubuntu não seria diferente, o Ubuntu e seus derivados possuem a maior comunidade Linux que existe, são milhões de pessoas dispostas a te ajudar em grupos nas redes sociais em fóruns na internet.

Esse tipo de suporte costuma ser muito rápido e em pouco tempo a sua dúvida será respondida, porém essas pessoas te ajudam por que gostam de ajudar uns aos outros, estar no meio dessa comunidade é uma das melhores coisas de se usar Linux.
Além disso, existem milhares de sites e blogs como o Diolinux, recheadinhos de dicas para você instalar programas, temas, otimizar o seu sistema e solucionar os seus problemas, realmente é muito difícil não existir solução na internet para o seu problema, existe também um fórum chamado AskUbuntu mantido pela Canonical, empresa que desenvolve o Ubuntu, que é um fórum oficial onde você vai encontrar muito conteúdo de fácil acesso e tudo o que falamos até agora é gratuito, sem gastar nenhum tostão furado!

Claro, se você quiser pagar, você terá suporte profissional através da Canonical, mas isso é só uma opção.

Concluindo

Quem já usa Linux consegue achar mais e mais motivos para trocar de sistema, inclusive pode deixar os seus motivos aqui nos comentários do site, com tudo isso não há nenhuma razão para você pelo menos não testar o sistema, não?
Fizemos até um vídeo para ensinar você a baixar o Ubuntu, e lembre-se é GRATUITO e NÃO É PIRATARIA. Confira abaixo:

 Data: dez. 2013
Anúncios

PipeLight, o SilverLight do Linux

PipeLight, o SilverLight do Linux

SilverLight é um plugin para navegadores, concorrente do Adobe Flash Player. Usa o codec VC-2 para seus vídeos em alta resolução. Porém como é um produto Microsoft só “roda” no sistema do “Tio Bil” e outros.

(talesam.org) “Já o Pipelight propõe algo mais sério e mais interessante, a criação de uma biblioteca que proporciona rodar qualquer aplicação dependente do Silverlight. A grande procura e utilidade para esse projeto está na execução do Netflix diretamente nos browsers nativos para Linux. De acordo com o projeto, o Pipelight consiste de duas partes: uma biblioteca Linux que é carregada no navegador e um aplicativo (pluginloader.exe) do Windows iniciado pelo Wine. Esse plugin simula um navegador e carrega as DLLs do Silverlight. Quando você abre uma página com um aplicativo Silverlight, a biblioteca Linux enviará todos os comandos para o navegador, proporcionando o funcionamento direto nos navegadores nativos para Linux.”

Resolvi testar o que dizem nos fóruns e realmente funcionou no que eu estava querendo. A instalação é bem simples e com poucos ajustes você terá o “Silverlight” no rodando no teu Linux.

Adicione o PPA para a instalação do PipeLight.

sudo apt-add-repository ppa:ehoover/compholio && sudo apt-add-repository ppa:mqchael/pipelight && sudo apt-get update && sudo apt-get install pipelight

Instale as extensões nos seguintes navegadores que você utiliza

Firefox   Chrome

Para conferir se a instalação foi concluída com exito, basta digitar “about:plugins” no endereço do seu navegador e procurar pelo plugin “SilverLight”.

Até a próxima pessoal!

Data: nov. 2013
Fonte: sejalivre.org

Instalando o Master PDF Editor em todas as distribuições Linux

Instalando o Master PDF Editor em todas as distribuições LinuxMaster PDF Editor é uma das ferramentas mais imprescindíveis nas minhas máquinas. Ele é uma ferramenta que lhe permite abrir e editar qualquer arquivo em PDF, em uma interface bastante intuitiva. Sinceramente, na minha opinião, o Master PDF Editor é o melhor editor de PDFs que já vi.

Se você é usuário Ubuntu, ele pode ser instalado facilmente através da Central de Programas do Ubuntu neste link. Mas e se você não é usuário Ubuntu? O que fazer?

Simples! À partir deste tutorial você será capaz de instalar o Master PDF Editor em qualquer Sistema Operacional Linux que você use. Vamos lá?

Sistemas 32 bits:


$ sudo cd /opt
$ sudo wget -c code-industry.net/public/MasterPDFEditor-1.9.00.i386.tar.gz
$ sudo tar -xzvf MasterPDFEditor-1.9.00.i386.tar.gz
$ cd MasterPDFEditor
$ sudo chmod +x pdfeditor
$ ./pdfeditor

Sistemas 64 bits:


$ sudo cd /opt
$ sudo wget -c code-industry.net/public/MasterPDFEditor-1.9.00.x86_64.tar.gz
$ sudo tar -xzvf MasterPDFEditor-1.9.00.x86_64.tar.gz
$ cd MasterPDFEditor
$ sudo chmod +x pdfeditor
$ ./pdfeditor

Agora basta criar um lançador no seu ambiente de trabalho para abrir a aplicação. No meu Linux Mint 15 eu criei assim:

Captura de tela de 2013-11-05 10:11:24

Data: nov. 2013
Fonte: sejalivre.org

Desbravando o comando grep

Desbravando o comando grepO comando grep é bastante utilizado para realizar buscas em textos. Hoje iremos iniciar uma saga demonstrando as diversas funcionalidades do comando grep e como podemos inseri-lo no nosso cotidiano de utilização de sistema linux. Então…vamos ao que interessa !!!

Pesquisar e encontrar arquivos

Digamos que você acabou de instalar uma nova versão do Ubuntu na sua máquina e que você necessita das bibliotecas Python para montar um script. Você foi vasculhando a web à procura de tutoriais, você vê que existem duas versões diferentes do Python em uso, e você não sabe qual foi instalado no seu sistema, se foi da instalação do Ubuntu, ou se instalando os módulos complementares de um hardware. Para sanar essa dúvida basta executar o seguinte comando:

# dpkg -l | grep -i python

Pesquisar e filtrar arquivos

O comando grep também pode ser usado para pesquisar e filtrar dentro de arquivos individuais ou múltiplos arquivos, conforme exemplo abaixo:

# grep –v “#” /etc/apache2/sites-available/default-ssl

O exemplo acima não irá mostar as linhas contendo “#” .

Pesquisar arquivos .mp3

O comando grep pode ser utilizado todos os arquivos que possuem a extensão .mp3.

Cenário:

Marcos possui uma coleção de mp3 e outros formatos e seu colega pediu as músicas do álbum “London Calling” do The Clash. Porém ele não quer os mp3 de versões “remix” do álbum. Utilizando o comando find juntamente com o grep e pipes iremos obter somente os mp3 desejados, conforme exemplo abaixo:

# find . – name “*.mp3” | grep –i the_clash | grep –vi “remix” 

Com isso, iniciamos uma nova saga agora dissecando o comando “grep”. Acompanhe o Seja Livre e não perca os próximos post’s desta saga. Até Breve !!!

Data: nov. 2013
Fonte: sejalivre.org

5 recursos interessantes do media player VLC que você talvez não conheça

O VLC é um media player para múltiplas plataformas, que reproduz a maioria dos arquivos multimídia, como DVD, CD de Áudio e vários protocolos de fluxo. Contudo, ele não é apenas um media player – é praticamente um “canivete suiço” para recursos multimídia, com diversas funcionalidades interessantes. Sendo assim, se você usa o VLC apenas para escutar músicas ou rodar seus vídeos; você não está usando todo o potencial desse programa e deve conferir essas dicas!

Não conhece o VLC? Instale em seu sistema Linux

1 – Converter arquivos de mídia

O VLC pode converter arquivos de mídia entre os formatos que ele suporta. Você pode usar isso para fazer um vídeo menor para um dispositivo móvel, converter mídia de um formato não suportado para um dispositivo compatível, ou mesmo para extrair o áudio de um vídeo e salvá-lo como um arquivo separado.

Para fazer isso, basta ir em Mídia >> Abrir (com opções) >> Adicionar o arquivo >> Escolher Converter (como segue imagem)

2 – Controlar remotamente a lista de reprodução

O VLC tem um servidor HTTP integrado e você pode habilitar o acesso remoto ao seu cliente VLC através de um navegador web. Permite você controlar seu player a partir de um navegador web, com controle da lista de reprodução.

Para isso, basta ir em Ferramentas >> Preferências >> Marcar a opção Exibir Configurações Detalhada, como segue imagem:

Depois, procure Interface >> Interfaces Principais >> marque a caixa de seleção Web. Por fim, reinicie o VLC! Posteriormente, abra o navegador Web e acesse o endereço http://localhost:8080/

Toda vez que o VLC for iniciado, o servidor também será! E você pode até usar isso para transformar seu smartphone em um controle remoto para o VLC, como segue How to Remote Control VLC With Your Android Phone

3 – Transmitir Streaming através da rede

O VLC pode fazer streaming através da Internet ou em sua rede local. Por exemplo, caso queira transmitir um arquivo de vídeo no seu computador para a rede local. Para fazer isso, basta ir em Mídia >> Abrir (com opções) >> Selecionar Arquivo ou Fluxo de Rede e depois clicar no botão Fluxo.

Uma nova tela irá se abrir. Basta ir preenchendo ou modificando o que desejar. Você será capaz de configurar o VLC como um servidor de mídia para que outros computadores na rede ou mesmo na internet conecte-se ao seu stream provido pelo VLC. Ou simplesmente assistir ou ouvir stream no seu player.

Leia isto: How to Use VLC to Stream Audio and Video to Multiple Computers on Your Network Using Multicast

4 – Aplicar efeitos de vídeo e áudio

VLC pode aplicar efeitos de áudio, efeitos de vídeo e ajustar o áudio de um vídeo e sincronizá-los. Você pode aplicar um equalizador de efeitos de áudio ou vídeo, como recorte, rotação, sobreposição, ou colorir um vídeo.

Muito útil para você adiantar ou recuar o áudio em comparação ao vídeo. Isso permite que você corrigir vídeos quebrados onde o áudio e o vídeo estão fora de sincronia. Lembrando que você pode aplicar efeitos de forma permanente a um vídeo!

5 – Assistir vídeos danificados e inacabados

O VLC é tolerante a falhas e pode ser uma boa alternativa para tentar ver um arquivo cujo download foi interrompido antes da hora, ou que foi parcialmente danificado por problemas no disco, por exemplo.

Data: out. 2013
Fonte: linuxdescomplicado.com.br