10 dicas essenciais para criação de sites

A V2 Design listou algumas dicas para a criação de páginas de sucesso. Confira

A criação de sites é um campo enorme, cheio de técnicas e boas práticas que garantem bons resultados. Mas muitas vezes é difícil saber qual caminho escolher diante de alguns desafios comuns do desenvolvimento de sites. Mas existem algumas dicas e truques que podem servir para grande parte dos projetos com os quais você vai trabalhar na vida. Acompanhe 10 conselhos da Gerente de Marketing da V2 Design, Flávia Alessandra Ferreira, que foram publicado na reportagem “50 erros e soluções para sites” da edição 145 da Revista W:

1- Faça tudo o que for possível para tornar seu site mais leve e rápido

Já falamos inúmeras vezes de técnicas para melhorar a performance de um site. Manter conteúdo estático em cache, otimizar a página para os browsers, manter o código limpo, reduzir excessos de mídias. Tudo é válido e existem muitas opções que podem ajudar a deixar um website enxuto. O importante é que isso seja, sim, uma das prioridades durante o processo de desenvolvimento. (Leia mais 10 dicas para sites rápidos aqui)

2- Use HTML5. Ele é amigável aos motores de busca, rápido e flexível

Não restam dúvidas quanto aos benefícios do HTML5. Os atributos e novos elementos trouxeram muitas facilidades, entre elas está o fato de que a sua estrutura é muito bem reconhecida por motores de busca, sobretudo os do Google. Isso porque o buscador dá bastante importância a tudo que é mais semântico na web. Mas é claro que existem alguns mitos e verdades sobre o assunto que precisam ser desvendados, antes de mais nada. Uma boa dica é um artigo sobre o assunto publicado no Tableless (leia aqui).

3- Separe informação com menus e submenus

Bons menus fazem parte de uma boa navegação, o que é essencial para manter o visitante de um site satisfeito com a experiência. É preciso separar as informações de uma página de forma hierárquica, de algum termo mais geral para outro mais específico. Pode parecer óbvio, mas há inúmeras páginas por aí que acabam misturando tudo e bagunçando as coisas. No mobile, por exemplo, os menus precisam ir direto ao ponto. Nada de colocar um guarda-chuva imenso de itens que com certeza não caberão na tela de um smartphone.

4- Trate fotos antes de publicá-las. Imagens com alta resolução prejudicam o carregamento da página

Tratar imagens não significa enchê-las de efeitos no Photoshop. A questão aqui é trabalhar em fotos que atendam às necessidades do projeto. Se puder abrir mão de imagens pesadas, não pense duas vezes. Mas em alguns casos, como para projetos touch ou otimizados para telas de alta resolução talvez esse não seja o caminho. O tipo do projeto também influencia. Como mostrar o portfólio de um fotógrafo ou de uma agência de publicidade sem boas fotos? Não tem jeito. Uma opção que pode atender alguns casos é o uso de algumas ferramentas de compressão (listamos algumas aqui).

5- Cores fortes estão permitidas. Mas é preciso conhecer as combinações e atender aos objetivos do projeto. Se não tiver certeza, fique na linha do clean. O risco de erras é menor

Escolher uma combinação de cores pode ser uma tarefa cheia de indecisões. Na dúvida, há especialistas que acreditam que o azul é uma cor de sucesso na internet. Mas antes de sair espalhando a cor pelo layout, o ideal é escolher uma paleta que combine com o projeto. Se for um site de hospital, não é recomendado que você escolha um vermelhão com um amarelo reluzente (amarelo exige parcimônia). Tente traduzir a personalidade do projeto com as cores. Como fazer isso? Com um bom briefing e uma boa pesquisa sobre os objetivos (seus ou de clientes).

6- A navegação deve seguir uma ordem lógica. O CSS torna uma página mais acessível, além de XHTML e ferramentas de validação

Pensar nas trajetórias do usuário pela página faz parte de estudos para desenvolvimento de interfaces. Alguns recursos podem ser usados nesse sentido para que você organize as informações e elementos visuais de um site de acordo com a navegação. Além de abusar de CSS e XHTML ferramentas que demonstram heatmaps mostram as chamadas “áreas nobres” de um site. São elas que merecem a sua atenção.

7- Cuide dos títulos das páginas. Elas ajudam os buscadores a encontrarem seu site e favorecerem o SEO

Este ponto está mais relacionado com o conteúdo, que é o filé do site. Depois de cuidar de uma boa “apresentação deste filé no prato”, com bons métodos de design, pensar em conteúdo é crucial para uma página de sucesso. Quando o assunto é SEO, leve em consideração que o Google dá preferência para conteúdos relevantes, então cuide do seu texto, prefira os que tem mais de 500 caracteres e repita algumas vezes as palavras-chaves mais importantes para tentar melhorar o posicionamento orgânico. Esses são pequenos passos iniciais.

8- Use apenas um tipo de fonte em todo o website. Se quiser mais de uma, use apenas para destaques, citações e títulos. Assim o visual fica mais limpo e padronizado

A tipografia é um dos aspectos mais importantes do design. Além de ser um detalhe visual importante, precisa estar de acordo com a legibilidade do conteúdo escrito da página. Leve em conta em que plataforma o site vai ser mostrado, a quantidade de informação que será inserida e o posicionamento. Faça um bom tour por sites de fontes para se inspirar e saber quais são as tendências (conheça algumas páginas sobre o assunto aqui)

9- Códigos devem ser escritos manualmente ou por programas específicos, como Dreamweaver. Um processador de textos qualquer poderá criar códigos desencessários e inválidos

Existem inúmeras ferramentas ótimas para escrita de códigos (além do Dreamweaver). Escolha de fontes confiáveis e recomendadas e fique de olha nas novidades em softwares para esse setor. O importante é encontrar a ferramenta que mais agrade o seu workflow e que atenda ao menos as necessidades essenciais de programação.

10- Espaço em branco ajuda a deixar o conteúdo legível – não exagere, para não comprometer o design.

O espaço em branco é constantemente a parte “polêmica” do design. Isso porque encontrar a dose certa pode não ser tão fácil quanto parece. Mas, acredite, quando você exagerar no espaço em branco as lacunas no design ficarão bem claras. O mesmo para os casos em que a empolgação acaba poluindo uma interface com muitos elementos. O melhor jeito de lidar com isso é: experimente. Não tenha medo de começar de novo. Reorganize tudo se achar necessário, leve em conta o respiro que o usuário precisa ter ao enxergar a página. E tente equilibrar tudo com o conteúdo.

Data: nov. 2013
Fonte: revistaw.com.br

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s