26-03-2013_rnp_logo

Depois de passar pelas primeiras fases do programa de grupos de trabalho, entre 2010 e 2012, o Mconf,software de multiconferência web que realiza reuniões, apresentações e encontros virtuais entre os diversos usuários, chegou à fase de serviço experimental, última etapa do ciclo de pesquisa e desenvolvimento.

Na última quinta-feira, 21/03, um evento de abertura reuniu representantes de instituições parceiras da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), no Rio de Janeiro, para avaliar, na prática, o projeto. Foram convidadas universidades e instituições federais que utilizam frequentemente o recurso de webconferência e os participantes do workshop de avaliação da fase dois do grupo de trabalho do Mconf. A RNP é uma organização social supervisionada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

Aprimorar a arquitetura do produto por meio de uma solução de alta disponibilidade e escalável para atender a milhares de usuários e que permita uma identidade visual customizável e a integração com dispositivos móveis são alguns dos desafios desta etapa, que tem conclusão prevista para junho de 2013.

Coordenado por Valter Roesler, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), o Mconf tem a proposta de ser um software aberto de multiconferência, capaz de operar em navegadores web e dispositivos móveis (Android), permitindo a colaboração em reuniões virtuais utilizando áudio e vídeo em tempo real.

Colaboração

Segundo Roesler, um dos pontos positivos é a possibilidade de criação de comunidades, o que aumenta o potencial colaborativo da ferramenta. “Cada usuário tem a sua sala de conferência pessoal e pode criar e participar de comunidades para discussões em grupo”, explica o pesquisador.

Desenvolvido em código aberto e disponibilizado em repositório como Github e Googlecode, o Mconf permite a edição de notas, conversas por bate-papo, compartilhamento de tela e a gravação das multiconferências realizadas.

Para fazer parte da equipe de desenvolvimento do Mconf, a RNP selecionou o Centro de Tecnologia Mineral (Cetem/MCTI), a Universidade Federal do Pampa (Unipampa), o Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), o Instituto Federal do Pará (Ifpa), o Laboratório de Telessaúde da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), a Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Importante ressaltar que a solução Mconf é baseada em um já consagrado software de videoconferências, o BigBluButton. O BigBlueButton tem uma licença de código aberto (a LGPL), que permitiu portanto o Mconf utilizar seu código como base do projeto.

Com informações de Convergência Digital e RNP

Fonte: revista.espiritolivre.org

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s